ECO SACOLAS

ECO SACOLAS

PALESTRA FEITA POR ADRIANA SASSOON NO ROTARY CLUB JABAQUARA.

 CLAUDIO TOZZI & ADRIANA SASSOON

Por Daniel Pereira,

As sacolas plásticas ou saquinhos de supermercado são uma praga moderna que devem aos poucos ser abandonadas por nós. Uma praga pois, qualquer coisa que compramos no supermercado, é embalada nela. Os saquinhos plásticos são derivados de petróleo, substancia não renovável feita de uma resina chamada polietileno de baixa densidade PEBD e sua degradação no ambiente pode levar séculos, ou seja, nossos s tataranetos vãos se deparar com os saquinhos que nós jogamos fora hoje. No brasil 9.7% do lixo é compósto por sauinhos de lixo e a sua produção é nociva para o meio ambiente, pois para produzir uma tonelada de plástico é necessário 1 140 kw/hora (7600 residencias iluminadas com lampadas economicas por uma hora).

Outra coisa nociva: a poluição dos mares e dos rios por este tipo de lixo. os saquinhso plásticos csão confundidos por peixes e pelas tartarugas por exemplo, com águas vivas que são alimentos e ao ingerir os plásticos, iamginem o que acontecem com os peixes e tartarugas. No espaço do projeto Tamar podemos ver expostos cadaveres de animais mortos desta forma.

Os saquinhos também provocam entupimentos em bueiros e contribuem para reter mais lixo. Quando incinerados, os  sqaquinhos liberam toxinas perigosas para a saúde.

A grande idéia é irmos susbstituindo aos poucos, como diz o companheiro Pablo, os  saquinhos por outras formas, como sacolas não  desacartáveis, do mesmo modo que foram substituindo os nossos saqinhos de papel. Uma dica é pois levar seja ao supermercado, a quitanda, a feira ou  a padaria,  uma sacola própria para fazermos as compras. Eu me lembro de uma sacola de feira muito forte e tambérm uma  tipo “embornal” que minha mãe costurava e ela sempre carregava.

Outra coisa é utilizar caixas de papelão quando a compra é grande ou se compramos verduras.

Ora poderemos sim, repensar os  armazenqamentos de nossas compras sim. Na Europa os costumes já começaram a mudar. Na Alemanha por exemplo, o sujeito que não levar sua própria sacola os uspermercados pagam um preçoa bem alto por cada saco que utiliza. Na Irlanda e na Inglaterra já temos sacolas biodegradáveis.

 As ecobags – sacolas retornáveis poderãos ser cada vez mais adotadas pelos supermercados – são ecologicamente corretas e, em alguns casos, visualmente atrativas para os consumidores. O consumidor não criou ainda o hábito de substituir as antigas sacolas plásticas. A discussão sobre a troca dos sacos em Natal no RN foi calorosa , com a aprovação na Assembleia Legislativa de uma lei que obriga os supermercados da cidade a eliminarem em, no máximo dois anos, os plásticos para carregar compras.

Das empresas locais às redes de abrangência nacional, as bolsas ecológicas já fazem parte do dia-a-dia dos consumidores nos supermercados de Natal. Geralmente, elas ficam posicionadas junto aos caixas, uma forma de estimular o consumidor a adquiri-las. O valor das sacolas são variáveis: em algumas redes elas são vendidas por menos de R$ 1 mas há opções que chegam perto de R$ 2,50. A maior parte é feita de algodão cru, mas há opções também de plástico mais resistente que pode ser reutilizado.
Nas lojas do Extra em Natal, a redução do uso de sacolas plásticas  já chega a uma média de 20%. “Este resultado é fruto do trabalho que o hipermercado tem realizado junto aos seus clientes, estimulando a utilização de sacolas retornáveis e evitando o desperdício das embalagens plásticas”, disse Messias Lima – gerente da loja do Midway Mall,. O percentual vem somar ao balanço geral que o Grupo Pão de Açúcar acaba de liberar de suas 597 lojas do Brasil, que ao todo conseguiram uma economia de 35% de sacolas plásticas no este ano se comparado ao mesmo período do ano passado.

Autor do projeto de lei que foi aprovado ontem na AL, o deputado estadual Paulo Davim declara que é preciso uma ação rápida dos supermercados para substituir os plásticos. A nova lei admite que sejam utilizados produtos biodegradáveis, papel ou outros tipos de opções para o consumidor. “O plástico demora milhares de anos para se decompor. Precisamos substituí-los o quanto antes.

Em Bauru, no interior paulista onde meu filho Yuhu estuda, pude rpesenciar os estudantes portando embornal de algodão para os seus trotes e depois para carregar livros. 

Assim, em São Paulo já sentimos alguns movimentos nos entido de reduzir o numero de sacos plásticos e uma campanha de esclarecimento a população  precedida de ações como utilizar suas próprias sacolinhas nos parece muito adequada e apropriada. Companheiros temos que começar algum dia. Pablo term razão. Podemos começar já!. 

http://www.sermelhor.com/artigo.php?artigo=56&secao=ecologia

Visitamos, neste fim de semana, após um almoço no D.Pepe di Napole na bela companhia dos artistas Cláudio Tozzi e Caciporé e da querida eterna Adriana Sassoon,  o projeto que o arquiteto Isay Weinfeld fez para o  Havaianas Store na Oscar Freire . Vi que a proposta  de utilizar uma ecobag é genial. As mulheres percorrem o espaço com uma sacola pendurada  e vao comprando e colocando tudo na sacola.

*Adriana é adepta dos movimentos ambientalistas e tem uma griffe de produtos e achou muito boa a idéia da sacola retornável e até posou com a imagem do artista Claudio Tozzi para dar uma ideia de como poderia ser uma eco-bag com o papagaio do Claudio estampando uma delas.

Issao Minami

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s